• autônomo casa própria

Sonho da casa própria: sou autônomo, posso realizar?

Hoje em dia, é difícil encontrar uma única pessoa que não sonhe em ter um lar para chamar de seu. Muitos indivíduos não sabem, mas os autônomos representam uma grande parte dos compradores de imóveis — especialmente, em um país onde os pequenos negócios e a economia informal são bastante comuns.

No entanto, para adquirir um espaço financiado, será preciso tomar alguns cuidados, como ter muita organização e disciplina, além de verificar se você cumpre todos os requisitos exigidos nessa negociação. É nesse momento, inclusive, que alguns compradores começam a se questionar: “afinal, por que eu preciso comprovar renda em um financiamento?”.

Se você faz parte desse time, saiba que está no lugar certo. Neste post, solucionaremos as suas dúvidas, além de contar os segredos para ser um autônomo com casa própria e dar o primeiro passo em sua realização. Não perca!

O que devo saber sobre financiamento de imóvel?

A primeira etapa para se tornar um autônomo com casa própria, é entender, de fato, como funciona o mercado imobiliário. Podemos dizer que um financiamento consiste em um tipo de empréstimo. Ao investir nessa modalidade, a instituição financeira faz o pagamento da propriedade e, em seguida, essa dívida deverá ser quitada com o próprio banco, e não com a construtora, incorporadora ou o proprietário em questão.

Para tanto, a instituição financeira precisa saber se você tem as condições suficientes para arcar com tal responsabilidade. É nesse momento que entra a chamada análise de crédito.

Mas, ao contrário do que se acredita por aí, não é somente um registro em carteira de trabalho que será capaz de comprovar a sua renda. No próximo tópico, contamos outras exigências solicitadas para ser beneficiado com esse recurso.

Pré-requisitos e como ampliar as chances

Em se tratando dos autônomos, os bancos podem analisar o seu perfil de diferentes maneiras. São características precisas e que, em alguns casos, podem ser aproveitadas por quem deseja aumentar as suas chances nessa realização. Veja alguns exemplos:

  • é fundamental que o autônomo tenha uma conta bancária. Mais especificamente, na instituição financeira com a qual se deseja fazer um financiamento;
  • é necessário guardar os comprovantes de todas as transações bancárias por certo período. Pode até parecer bobagem, mas esse cuidado poderá ser usado como um recurso de comprovação de renda;
  • se declarar o Imposto de Renda (IR), é mais um método de provar para o banco que você é capaz de arcar com as suas dívidas;
  • em algumas situações, pode ser útil apresentar uma Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimento (DECORE);
  • o histórico bancário é um instrumento que não pode ser esquecido. Ele ajudará você a provar que é um bom pagador, facilitando, assim, os financiamentos. Em outras palavras, estando sempre em dia com os seus pagamentos, e fazendo o bom uso do crédito, a instituição financeira começará a enxergá-lo como um indivíduo confiável.

Processo de amortização

Ter uma boa educação financeira é essencial para conseguir se tornar um autônomo com casa própria. Dentro desse segmento, muito se fala a respeito da amortização. Em linhas gerais, esse processo serve para quitar a dívida de um financiamento imobiliário, realizando pagamentos frequentes à instituição financeira ou empresa responsável por ter cedido o valor da propriedade.

Contudo, não estamos falando de um pagamento qualquer, uma vez que cada organização trabalha com um método distinto. Abaixo, descubra quais são as principais modalidades disponíveis:

  • Sistema PRICE: é uma opção que garante parcelas fixas durante todo o processo de pagamento;
  • Sistema SAC: apresenta parcelas decrescentes, ou seja, que se iniciam com valores altos e vão caindo com o passar do tempo;
  • Sistema SACRE: é uma combinação do sistema PRICE e SAC, em que as parcelas vão crescer no início e, depois, diminuir, por conta da amortização.

Quais são os principais tipos de financiamento que existem?

Felizmente, existem várias opções de financiamento habitacional disponíveis para a população. Antes de optar por uma delas, é interessante conhecê-las muito bem. Até porque estamos falando de uma tomada de decisão importante e que envolve um alto investimento. Anote!

Direto com a construtora

Certas empresas responsáveis pela construção de empreendimentos também disponibilizam a opção de financiamento das unidades. Tal alternativa costuma ser bastante atrativa para os compradores, já que conta com uma burocracia bem menor e o crédito é mais fácil de ser liberado em comparação aos bancos.

Mais: na maioria dos casos, as suas condições de pagamento também são bastante flexíveis. Dependendo da construtora, há a opção de oferecer um imóvel ou automóvel como uma forma de entrada.

Com o banco

Sem dúvida, o financiamento direto com o banco é a solução mais conhecida — e praticada — da atualidade. Entre as instituições que se destacam nesse segmento, está a Caixa Econômica Federal, especialmente, por conta de sua parceria com o famoso programa Minha Casa Minha Vida, criado pelo Governo Federal.

Porém, é interessante ressaltar que essa modalidade costuma ser mais exigente no processo de aprovação de crédito. Por outro lado, você conseguirá um bom prazo para quitar a dívida — chegando até a 35 anos de parcelamento.

Viu só? Após essas dicas, esperamos que tenha ficado claro como se tornar um autônomo com casa própria por meio do financiamento imobiliário.

Agora que você já sabe tudo sobre o assunto, entre em contato com a nossa equipe. Um time de especialistas está pronto para fornecer informações valiosas ao longo desse processo tão importante. Será um prazer atender você!