• reciclagem do lixo

Reciclagem do lixo em condomínios: por que fazer e como funciona?

Fazer a reciclagem do lixo em condomínios é uma atitude indispensável atualmente. Afinal, é cada vez mais importante adotar práticas sustentáveis e alinhadas com o planeta, além de ser uma medida capaz de gerar uma economia de recursos significativa.

A coleta seletiva em condomínios é uma boa estratégia para cuidar do planeta e preservar o meio ambiente, sendo viável a sua aplicação em todos os tipos de empreendimentos — motivo pelo qual essa prática se torna cada vez mais comum.

Se você tem interesse pelo tema e quer descobrir por que fazer e como funciona a reciclagem do lixo em condomínios, continue a leitura deste post para conferir todos os detalhes. Não perca!

Como fazer a reciclagem do lixo?

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, é possível fazer a reciclagem do lixo até mesmo em um apartamento pequeno, uma vez que se trata de uma atividade que não requer muito esforço ou espaço livre.

De maneira geral, é preciso separar os resíduos comuns, como os orgânicos, recicláveis e rejeitos, e os diferenciados, como pilhas, óleo de cozinha, lâmpadas fluorescentes e baterias. A diferenciação pode ser realizada por sacos de lixo ou mesmo lixeiras de cores pré-determinadas para cada tipo de resíduo.

O que é coleta seletiva?

Depois de organizar a separação do lixo no condomínio, chega o momento de cuidar da retirada de tal material de forma consciente. Existem algumas cidades em que a prefeitura oferece o serviço de coleta seletiva, bastando realizar a solicitação conforme o volume de lixo produzido.

Já nos casos de municípios que não contam com uma iniciativa pública, é possível procurar por organizações, como ONGs, que realizam esse tipo de serviço. Algumas delas, inclusive, costumam proporcionar ao condomínio um retorno financeiro pela retirada e reaproveitamento do lixo reciclável.

Qual é a importância da coleta seletiva?

A coleta seletiva estabelece uma organização na maneira com que cada indivíduo descarta o seu lixo para que cada item receba a melhor destinação. Assim, o que pode ser reciclado, por exemplo, deve ser separado de outro resíduo que demora muito mais tempo para se decompor, a fim de proteger o meio ambiente.

A prática de separar o lixo, especialmente em condomínios, também evita problemas, como lixo colocado no lugar errado e mau cheiro no ambiente residencial, proporcionando benefícios inclusive aos próprios moradores.

Além disso, também há a possibilidade de vender para cooperativas de reciclagem os resíduos reutilizáveis na coleta seletiva em condomínios e o dinheiro arrecadado pode ser usado, por exemplo, para compor o seu caixa e realizar reparos e melhorias nas áreas comuns. Ou seja, nesse caso, há um bom retorno financeiro aos próprios condôminos.

Como essa prática pode ser aplicada no ambiente do condomínio?

Para adotar essa prática, o ideal é implementá-la nas regras do condomínio, além de orientar os condôminos e os colaboradores como fazer a separação do lixo, pois muitas pessoas não sabem, de fato, o que é ou não reciclável.

Assim, é importante explicar quais materiais podem ser descartados juntos e quais devem ser separados, como vidros e papéis de restos de alimentos. Além disso, é importante que o local para o descarte do lixo seja acessível, com lixeiras de fácil identificação e visualização.

Agora que você já conhece sobre a reciclagem do lixo e sabe qual é a importância da coleta seletiva em condomínios, deve ter percebido que se trata de uma medida fundamental de sustentabilidade e conscientização para a preservação do meio ambiente, não é mesmo? Por isso, passe a adotá-la em seu apartamento o quanto antes!

A sustentabilidade, o desenvolvimento econômico e a responsabilidade social são práticas que a Direcional viabiliza nos seus empreendimentos. Então entre em contato conosco para conhecer mais detalhes!