• financiar pelo programa

5 motivos para financiar pelo programa Minha Casa Minha Vida

Já não é novidade que adquirir a casa própria é um alto investimento. Inclusive, muitas pessoas encaram essa realização como algo impossível de ser alcançado. Mas não caia nessa! A boa notícia é que você pode financiar pelo programa Minha Casa Minha Vida (MCMV) ou, mais recentemente, com o programa Casa Verde e Amarela, e com isso, sair do aluguel de uma vez por todas.

Será possível aproveitar condições facilitadas, sem prejudicar o seu orçamento mensal — e fazer com que o seu sonho esteja mais perto do que nunca. Contudo, antes de tomar qualquer atitude e começar o seu investimento, é fundamental planejar e buscar informações a respeito dos programas.

Uma delas é consultar as exigências estabelecidas para saber se, de fato, você se enquadra no perfil dos usuários aprovados. Depois, é sempre interessante pesquisar bem as características do empreendimento para descobrir se ele se encaixa em suas necessidades. Lembre-se também, de ter aliados ao longo dessa tarefa, como empresas conceituadas no setor e que estejam dispostas a ajudar os seus clientes a conquistar o melhor.

Caso ainda tenha dúvida se essa é uma boa opção, tudo bem! Neste post, explicamos melhor sobre o Minha Casa Minha Vida e como essa alternativa consegue garantir inúmeros benefícios aos compradores. Também traremos informações sobre o novo programa Casa Verde e Amarela. Acompanhe e anote as dicas!

Como funcionava o programa Minha Casa Minha Vida?

O primeiro ponto a ser abordado é saber, a fundo, como funcionava o programa Minha Casa Minha Vida para quem desejava financiar imóveis por essa modalidade. Lançada em 2009, pelo Governo Federal, essa opção de crédito foi desenvolvida com o propósito de impulsionar a economia do país e, claro, facilitar a moradia para os brasileiros.

Ao contrário de outras opções de financiamento disponíveis, o Minha Casa Minha Vida contava com condições acessíveis para famílias de diferentes faixas de renda. Assim, o governo facilitou a compra de propriedades, oferecendo um subsídio próprio para minimizar essas parcelas e adequar o pagamento conforme a realidade de boa parte da população.

A terceira fase do Programa Minha Casa Minha Vida

O programa passou por três fases distintas, que consistiam em modificações para tornar o seu funcionamento mais eficiente para a população. A última, que teve início em 2016, tinha o objetivo de alcançar a meta de duas milhões de unidades entregues.

Nessa etapa, o investimento estimado era ultrapassar os R$210 bilhões, conseguindo contemplar famílias em diversas regiões do Brasil. Também vale lembrar que, desde o seu primeiro ano do programa, diferentes medidas foram anunciadas para adequar o Minha Casa Minha Vida e facilitar a sua adesão.

Entre as principais, destacamos o aumento da faixa de renda exigida para a participação. Inicialmente, o mínimo era de R$1.600,00 reais, depois esse valor aumentou consideravelmente. Veja:

  • faixa 1: renda de até R$1.800,00;
  • faixa 1,5: renda de até R$2.600,00;
  • faixa 2: renda de até R$4.000,00;
  • faixa 3: renda de até R$7.000,00.

Por que financiar pelo programa?

Existem várias razões para financiar um imóvel pelos programas habitacionais do governo. Não estamos falando somente das taxas de juros, que costumam ser mais baixas em relação a outros tipos de crédito oferecidos pelas demais instituições financeiras. A seguir, contamos outros diferenciais que você só encontrará nessa modalidade.

1. Os prazos para pagamento são maiores

Entre as grandes vantagens de financiar pelo programa, não podemos nos esquecer do tempo de pagamento. Nesse caso, o prazo para quitar a dívida pode chegar a até 30 anos, permitindo que as suas parcelas mensais se tornem mais suaves e incapazes de comprometer o orçamento do comprador.

2. A entrada é facilitada

Assim como outros financiamentos, o Minha Casa Minha Vida exige que o comprador dê um valor de entrada, que costuma ser 20% do total do imóvel. Ou seja, uma parcela inicial para comprovar o seu interesse na propriedade.

O lado bom é que nessa modalidade, tal quantia é menor e, de quebra, existe a possibilidade de descontá-la posteriormente, conforme o pagamento das mensalidades do empréstimo.

3. As taxas e os juros são mais baixos

Esse tipo de financiamento é como um empréstimo — a instituição financeira avaliará a sua renda e, caso a solicitação seja aceita, o próprio banco quita a compra com a construtora ou incorporadora. Em contraponto, o comprador precisará arcar com as despesas que ficaram pendentes com a instituição financeira, por meio de parcelas mensais.

Como em qualquer empréstimo, há juros e taxas a serem adicionadas nas mensalidades. A diferença é que, no programa do governo, elas são mais baixas e determinadas conforme a faixa de renda familiar. Aqui, é válido lembrar que tais cobranças, quase sempre, são as menores do mercado.

4. O imóvel sai no seu nome

Diferentemente de outros financiamentos disponíveis, ao investir pelo programa Minha Casa Minha Vida, por exemplo, a escritura da propriedade já sairá no nome do proprietário, mas com a devida alienação da Caixa. Portanto, caso ocorram atrasos de mensalidades, a instituição financeira poderá realizar a cobrança dos juros ou multas.

5. Os subsídios

Há ainda, o chamado subsídio do governo para que você consiga realizar o sonho da casa própria. Esse valor vai depender da faixa de renda apresentada no ato do cadastro e será descontado diretamente do montante total do imóvel.

Quais são os principais requisitos para participar do programa habitacional?

Como citado, para financiar uma casa pelo programa, é necessário cumprir todos os pré-requisitos dessa modalidade. Conheça os principais deles.

Nome limpo

Ter o nome sujo é considerado um forte indicativo de que você não consegue arcar com as suas despesas. Portanto, é fundamental regularizar essa situação antes de solicitar o cadastro. Elimine dívidas em estabelecimentos, confira se há pendências no Banco Central ou qualquer inadimplência tributária.

Documentação necessária

Pessoas que têm os documentos irregulares podem encontrar problemas ao tentar o financiamento pelo MCMV. Em linhas gerais, são exigidos os dados pessoais do comprador, além da documentação do imóvel em si.

A dica é organizá-los antecipadamente, junto à construtora, para evitar desentendimentos ou dor de cabeça. Os principais são:

  • RG e CPF;
  • Carteira de Trabalho (CTPS);
  • Certidão de Nascimento;
  • Certidão de Casamento, para pessoas casadas;
  • comprovante de renda (holerite dos últimos três meses);
  • comprovante de residência atualizado;
  • Declaração do Imposto de Renda;
  • Contracheque ou comprovante de benefícios nos casos de aposentado/pensionista;
  • Título de Eleitor;
  • Certidões de Nascimento e CPF dos filhos menores de 18 anos;
  • Laudo médico atual com identificação da doença e CID (nos casos de Portadores de Necessidades Especiais).

Conta na Caixa Econômica Federal

Para facilitar a aprovação, muitas pessoas também procuram abrir uma conta na Caixa. Do mesmo modo que outras instituições financeiras operam, ela tende a disponibilizar condições especiais de financiamento aos seus correntistas, uma vez que já tem as suas informações armazenadas e conhece o seu histórico como pagador.

O que é e como funciona o Programa Casa Verde e Amarela?

Criado em agosto do ano passado para substituir o Minha Casa Minha Vida, o Programa Casa Verde e Amarela (CVA) agrega iniciativas habitacionais do Governo Federal com o intuito de ampliar a quantidade de moradias. Também, atender às necessidades habitacionais da população, em especial, com juros mais baixos para moradores da região Norte e Nordeste.

A partir dessas medidas, o objetivo do programa é, com o financiamento habitacional, atender a mais de um milhão de famílias de baixa renda até 2024, um incremento de 350 mil moradias. Além do financiamento, o CVA atua com regularização fundiária e melhoria de residências.

A primeira inclui medidas jurídicas, urbanísticas, ambientais e sociais para assegurar a emissão do título que assegura o direito sobre o lote das famílias com renda mensal de até R$5 mil.

Já as melhorias habitacionais, como construção de um novo banheiro, ampliação de um quarto ou construção de um telhado, serão realizadas em moradias de famílias com renda mensal de até R$2 mil, selecionadas pelo poder público local.

Quais são as vantagens do CVA?

A seguir, listamos as principais vantagens que o financiamento pelo programa habitacional novo oferece.

Atuação em mais modalidades

Diferentemente do Minha Casa Minha Vida, o CVA oferece mais modalidades além do financiamento habitacional, que incluem a regularização fundiária e a melhoria habitacional, explicadas anteriormente. Além disso, proporciona uma maior facilidade ao financiar um apartamento, permitindo que ele seja quitado em até 360 meses.

Menor taxa de juros

O programa propicia valores abaixo dos praticados pelo mercado, o que facilita a obtenção do imóvel. Essa taxa varia de acordo com a renda da família, além de também ser diferente dependendo do estado e cidade em que você deseja comprar o imóvel.

Subsídio do governo

Por meio do programa, parte do valor do imóvel será pago pelo governo. Dessa forma, as famílias que mostrarem interesse em participar do Casa Verde e Amarela para financiar o imóvel poderão ter acesso a um subsídio no valor de até R$140 mil.

Possibilidade de uso do FGTS

Assim como no MCMV, além de ter um desconto do programa do governo para comprar o apartamento, você também poderá utilizar o seu FGTS para liquidar o saldo devedor, ou seja, pagar uma parte do imóvel, assim como amortizar prestações do financiamento a cada dois anos.

Conquista do adeus ao aluguel

Sem dúvida, a maior vantagem do Casa Verde e Amarela é poder dar adeus ao aluguel e conquistar a tão sonhada casa própria. Afinal, alugar um imóvel é um dos gastos mais altos para os brasileiro, pois todo mês você perde uma quantia significativa do seu salário, sem nenhum retorno.

Com esse programa, é possível aplicar o valor que era da locação no pagamento das parcelas do seu financiamento e, no final, garantir um apartamento como você sempre quis.

Quais são os principais requisitos para participar do Casa Verde e Amarela?

O programa oferece melhores condições de pagamento e taxas de juros mais baixas conforme a renda familiar. Nessa modalidade, as faixas de renda são divididas em:

  • faixa 1,5: famílias com renda bruta de até R$ 2.000,00;
  • faixa 2: famílias com renda bruta de até R$ 4.000,00;
  • faixa 3: famílias com renda bruta de até R$ 7.000,00.

Com relação às taxas de juros elas ficarão em torno de 5% ao ano. Porém, para os estados do Norte e do Nordeste, o percentual será menor, de 4,5% ou 4,25%, dependendo da faixa de renda familiar.

Além disso, as famílias que apresentam renda mensal de até R$7 mil podem contratar o financiamento de maneira individual, podendo ser realizado através da construtora ou por uma entidade organizadora que esteja vinculada a um empreendimento que pode ser financiado por alguma instituição financeira.

Como a Direcional pode ajudar?

Por último, conte com o apoio de profissionais especialistas no mercado imobiliário. A equipe da Direcional pode ajudar você a financiar pelos programas Minha Casa Minha Vida e Casa Verde e Amarela, e conquistar o seu sonho da casa própria.

Há quase 40 anos atuando no setor, a empresa preza pela qualidade de suas unidades, sempre trabalhando com condomínios modernos, bem equipados e capazes de se encaixar em todos os bolsos. Assim que contar com os nossos serviços, você poderá desfrutar de alguns diferenciais, sendo os principais deles:

  • empreendimentos exclusivos e muito bem pensados para satisfazer as necessidades dos moradores;
  • processos totalmente seguros e confiáveis em todas as fases da negociação, evitando ciladas e problemas burocráticos.

Ficou interessado? Para saber se você pode financiar pelos programas ou, até mesmo, quanto seria o seu subsídio, aproveite para entrar em contato conosco. Temos um atendimento totalmente digital e é possível, ainda, tratar de todos esses detalhes por meio do WhatsApp. Esperamos por você!